Pages

Subscribe:

RÁDIO WEB EM DOSE DUPLA

RÁDIO WEB EM DOSE DUPLA
Tocando o Sucesso de Sempre

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Prêmio da Música Brasileira homenageia Ney Matogrosso

Fonte: G1.Globo.com
Fotos: Reprodução
Edição: Jorge Luiz da Silva
Serrinha, BA (da redação itinerante do Blog MUSIBOL


Ney Matogrosso (Foto: Divulgação / Rock in Rio)


Evento, que será realizado nesta quarta-feira (19) no Theatro Municipal, terá 79 indicados em 35 categorias. Pela 1ª vez, prêmio tem ingressos à venda para o público. Por G1 Rio


Ney Matogrosso é o homenageado da vigésima oitava edição do Prêmio da Música Brasileira. O evento será realizado nesta quarta-feira (19) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no Centro da cidade, às 21h.

A cerimônia, apresentada por Maitê Proença e Zélia Duncan, também responsável pelo roteiro, terá 79 indicados em 35 categorias. Pela primeira vez, o evento será aberto ao público, com ingressos à venda.

A direção geral é de José Maurício Machline, idealizador da premiação. Sacha Amback assina a direção musical. No palco, Ney Matogrosso apresentará cinco números representativos de sua trajetória. Entre eles, estarão "Rosa de Hiroshima" (Vinicius de Moraes e Gerson Conrad), "Pro Dia Nascer Feliz" (Cazuza e Frejat) e "Melodia Sentimental" (Heitor Villa-Lobos e Dora Vasconcellos) – nesta última, o cantor será acompanhado pelo Trio Madeira Brasil.



Ney Matogrosso (Foto: Divulgação.



Além do homenageado, a noite contará, ainda, com as participações de Chico Buarque ("As Vitrines"), Ivete Sangalo (‘Sangue Latino"), Alice Caymmi e Laila Garin ("Bomba H"), Lenine ("Bicho de Sete Cabeças II"), Pedro Luís ("O Mundo"), Karol Conka ("Homem com H") e BaianaSystem ("Inclassificáveis").

A banda que acompanhará o Ney Matogrosso, e reunida apenas para esta ocasião, será formada por Sacha Amback, Marcos Suzano (programações e percussão), Marcelo Costa (percussão), Alberto Continentino (baixo), André Valle (guitarra), Everson de Moraes (trombone) e Diogo Gomes (trompete).

Desde o ano de sua criação, quando homenageou Vinicius de Moraes, o Prêmio celebra um artista brasileiro, que serve como fonte para o roteiro e repertório da cerimônia de entrega.

Já foram homenageados Dorival Caymmi, Maysa, Elizeth Cardoso, Luiz Gonzaga, Ângela Maria e Cauby Peixoto, Gilberto Gil, Elis Regina, Milton Nascimento, Rita Lee, Jackson do Pandeiro, Gal Costa, Ary Barroso, Lulu Santos, Baden Powell, Jair Rodrigues, Zé Keti, Dominguinhos, Clara Nunes, Dona Ivone Lara, Noel Rosa, João Bosco, Tom Jobim, Maria Bethânia e Gonzaguinha.


Ney Matogrosso (Foto: Divulgação


Prêmio da Música Brasileira
Local: Theatro Municipal (Praça Floriano, S/N)
Horário: 21h00
Ingressos: De R$ 100 a R$ 300
(à venda em www.ingressorapido.com.br)

Theatro Municipal completou 108 anos em 2017 (Foto: Vânia Laranjeira/ Divulgação)








quinta-feira, 13 de julho de 2017

Fafá está em casa no DVD que exibe grande momento da artista em cena

Texto: Mauro Ferreira
Fonte: G1.Globo.com
Fotos: Reprodução
Edição: Jorge Luiz da Silva
Salvador, BA (da redação itinerante do Blog MUSIBOL



Às vésperas de entrar em cena na novela A força do querer (TV Globo, 2017) na pele de Almerinda, cantora que se apresenta com o nome artístico de Mere Star, Fafá de Belém lança DVD do tamanho do talento e da voz da artista. Dez anos após apresentar um primeiro DVD com registro de show de tom retrospectivo, Fafá de Belém ao vivo (2007), a cantora paraense edita um segundo registro audiovisual tão caprichado como o primeiro.


Distribuído no mercado fonográfico via Radar Records, o DVD Do tamanho certo para o meu sorriso ao vivo eterniza momento luminoso na trajetória da artista nos palcos.

Álbum lançado em 2015 para celebrar os 40 anos de carreira desta cantora projetada em escala nacional ao gravar o samba de roda Filho da Bahia (Walter Queiroz) para a trilha sonora da novela Gabriela (TV Globo, 1975), Do tamanho certo para o meu sorriso gerou refinado show hi-tech concebido e dirigido por Paulo Borges – então na segunda incursão como criador de espetáculos musicais após o sucesso obtido em 2014 com o show Rainha dos raios, de Alice Caymmi – para fazer o coração assumidamente brega de Fafá bater com elegância na cena armada com belíssimas projeções.


Captado para o DVD pelo Canal Brasil sob a direção de Murilo Alvesso, em apresentação realizada em 11 de agosto de 2016 no Teatro Bradesco da cidade de São Paulo (SP), o show conserva o requinte no registro audiovisual. Dividindo a cena com os guitarristas paraenses Manoel Cordeiro e Felipe Cordeiro, responsáveis pela direção musical do show, Fafá rebobina músicas do álbum de 2015, reconectada com a cena musical de Belém (PA), cidade que Maria de Fátima Palha de Figueiredo carrega orgulhosamente no sobrenome artístico.

Enquadradas na moldura sofisticada de Paulo Borges, músicas como Quem não te quer sou eu (Firmo Cardoso e Nivaldo Fiúza, 2002) e Os passa vida (Osmar Jr. e Rambolde Campos, 2004) – sucessos da banda paraense Sayonara revividos por Fafá no disco de 2015 – ganham força em cena e se ajustam ao canto intenso da cantora, ardente ao interpretar Volta (Johnny Hooker, 2013) e coerente ao pescar pérola kitsch como o bolero Usei você (Silvio César, 1971).

Paulo Borges soube refinar a cena de Fafá sem diluir a alma passional do canto da intérprete. Por isso, baladas arrasadas como Abandonada (Michael Sullivan e Paulo Sérgio Valle, 1996) caíram bem no roteiro do show. Desde a década de 1980, quando migrou progressivamente da MPB para a canção popular, a voz emotiva de Fafá reverbera sobretudo a trilha dos cabarés e bares de um Brasil sentimental, despudorado.



Ao percorrer Asfalto amarelo (Manoel Cordeiro, Felipe Cordeiro e Zeca Baleiro, 2015), Fafá celebra o Pará que também emerge em Este Rio é minha rua (Paulo André Barata e Ruy Barata, 1976). Mas o show extrapola as fronteiras e a música do Para, pois Fafá é já há 42 anos uma voz do Brasil que também pulsa no trotar sexual de Cavalgada (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1977) – número mais teatral de show que se beneficia dos artifícios da cena – e na emoção à flor da pele da canção de despedida Bilhete (Ivan Lins e Vitor Martins, 1980).

Enfim, o DVD Do tamanho certo para o meu sorriso ao vivo tem o mérito de registrar um dos melhores shows de Fafá de Belém, apresentado poucas vezes pelo Brasil com a arquitetura original construída por Paulo Borges. É show grandioso, do tamanho da sonora gargalhada de Fafá e da dimensão do Brasil. (Cotação: * * * * *)

(Créditos das imagens: Fafá de Belém em foto de Caio Gallucci.
Capa do DVD Do tamanho certo para o meu sorriso ao vivo)




quinta-feira, 6 de julho de 2017

Trilha de 'Filme' de Cris Braun e Dinho Zampier vai de Sex Beatles a Vivaldi


Texto: Mauro Ferreira
Fonte: g1.globo.com
Imagens: Reprodução
Edição e arte: Jorge Luiz da Silva
Salvador, BA (da redação Itinerante)



Cantora e compositora gaúcha radicada em Maceió (AL) que ganhou visibilidade no universo pop na década de 1990 quando integrou o grupo carioca Sex Beatles e, na sequência, teve o primeiro CD solo editado pelo então recém-inaugurado selo de Marina Lima, o fugaz Fullgás, Cris Braun se junta em disco com o tecladista, arranjador e produtor musical alagoano Dinho Zampier – metade da dupla Figueroas, voltada para ritmos caribenhos como a lambada.

O álbum de Braun com Zampier, Filme, chega às plataformas digitais em 20 de julho e, em setembro, ganha edição física em CD. Com 11 músicas, quase todas compostas para o disco, Filme reverbera sons da psicodelia da década de 1970, do jazz e do folk de cepa pop.








As únicas regravações são Escorpiões – música de Alvin L lançada pelo grupo Sex Beatles há 23 anos no álbum Automobília (Rock It!, 1994) – e Sento in seno ch'in pioggia di lagrime, ária criada pelo compositor italiano de música erudita Antonio Vivaldi (1678 – 1741) para a ópera Tieteberga (1717).

No entender dos artistas, as 11 músicas do disco compõem a trilha sonora imaginária de história contada nas entrelinhas da narrativa musical.

(Crédito da imagem: capa do álbum Filme, de Cris Braun & Dinho Zampier).




quarta-feira, 5 de julho de 2017

Mahmundi cai na pista romântica com 'Imagem', single que anuncia EP

Texto: Mauro Ferreira
Fonte: G1.Globo.com
Fotos: Reprodução
Edição: Jorge Luiz da Silva
Salvador, BA (da redação itinerante do Blog MUSIBOL




Um dos destaques da música brasileira no ano passado, por conta do álbum que lançou em maio de 2016, Mahmundi – nome artístico da cantora, compositora e multi-instrumentista carioca Marcela Vale – lança single inédito na próxima sexta-feira, 7 de julho.


Música composta pela artista em parceria com Hugo Braga, Leo Justi e Lux Ferreira, Imagem é a primeira pista do EP que Mahmundi lançará neste segundo semestre de 2017. Gravada com produção dividida entre Lux Ferreira e a própria Mahmundi, a música Imagem tem pegada black romântica.


Já o EP é quarto título (neste formato) da discografia da artista, cujo primeiro EP, Efeito das cores, foi lançado em 2012. Contratada pela gravadora Universal Music após a plataforma Skol Music desativar o selo StereoMono, pelo qual a cantora editou o aclamado primeiro álbum, Mahmundi já lançou pela companhia no primeiro semestre de 2017 um EP ao vivo, Live, somente em edição digital.


(Crédito da imagem: Mahmundi em foto promocional do singleImagem)







JOLUSI FM

JOLUSI FM
A rádio web que toca os sucessos de sempre.

JOLUSI FM

MAPA DE ACESSOS

ON LINE

TYNT

Total de Visitas

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS
DE SERRINHA PARA O MUNDO